sexta-feira, 17 de outubro de 2014



Alma de Capelinense

É nossa missão, como amigos de Capelins, divulgar todas 

as referências à nossa Freguesia.

Chegado um fim-de-semana,
fiz contas, e atravessando
as margens do Guadiana,
fui dormir a Capelins.
Na manhã do outro dia
(o Sol ainda dormia)
e eu, a pé, já caminhava
por terras de Portugal.
Andando um bom par de léguas
cheguei tarde, noite fora,
ao sítio da "Cotovia".
Batiam três da manhã
na torre da freguesia.
Ia a morrer de cansaço,
mas a voz do próprio sino,
como a força do destino,
foi-me levando p'lo braço
ao "Monte" onde ela morava...

In: “Terras de Sol – Picareta Escribante”



 

Sem comentários:

Enviar um comentário